Cadeia de valor

Compartilhar:

O conceito de Cadeia de Valor foi introduzido por Michel Porter em 1985. Segundo este autor a cadeia de valor consiste no conjunto de atividades, primárias ou de apoio, que agregam ou não valor para uma companhia e seus públicos. Essas atividades incluem desde as fontes de matérias-primas básicas, fornecedores de produtos ou serviços até o produto final entregue a clientes e consumidores. Também considera desde a concepção dos produtos e/ou serviços e a obtenção de insumos e matérias-primas, passando pelas relações com fornecedores e prestadores de serviços e os ciclos de produção, comercialização, entrega e utilização do produto e/ou serviço pelos consumidores e clientes, até a fase de pós-consumo e/ou de atendimento após a utilização do serviço. Além dos públicos considerados neste ciclo, o relacionamento e o engajamento da companhia com os seus demais públicos também podem ser qualificados como integrantes da cadeia de valor.

O objetivo deste modelo é identificar os principais fluxos de processos dentro de uma companhia, entender de que forma eles estão interligados e como dependem uns dos outros de modo a fazer uma adequada e eficaz gestão de cadeia de valor, que é um diferencial competitivo da companhia. Uma gestão adequada da cadeia de valor permite identificar atividades que não agregam ou reduzem valor ao produto/serviço, aumentando a rentabilidade da companhia, ou ainda ainda identificando as atividades que mais agregam valor e que são mais relevantes à empresa. Além disso, a gestão adequada permite também identificar, avaliar e mitigar/potencializar riscos/oportunidades localizados fora da companhia, que podem causar impactos negativos/positivos, sejam de natureza financeira ou não (como risco legal, reputacional ou de imagem) e que de outra forma não seriam percebidos pela companhia.


Perguntas do questionário ISE relacionadas ao tema

Desempenho das empresas em indicador relacionado ao tema


Esquecemos algo? Tem alguma sugestão sobre este texto?