Mitigação das mudanças climáticas

Compartilhar:

Existem fortes evidências científicas, como identificadas nos relatórios do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) de que as mudanças climáticas são de natureza antrópica, isto é, resultam das atividades dos seres humanos, especialmente aquelas provocadas pelo aumento sistemático de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera, cuja concentração cresceu significativamente nos últimos séculos.

Na metade do século 18 (por volta de 1760) a concentração era de aproximadamente 270 ppm (partes por milhão) e em 2014 ela atingiu o nível de 400 ppm. Além do aumento da concentração em si, a taxa de aumento também cresceu (isto é, houve uma aceleração): entre 1760 e 1950 o aumento da concentração foi de aproximadamente 0,2 ppm ao ano, mas a partir de 1950 essa taxa foi praticamente 7 vezes maior: 1,4 ppm ao ano. Os estudos científicos apontam que para reduzir os riscos e mitigar os efeitos das Mudanças Climáticas é fundamental reduzir a emissão desses gases para a atmosfera.

Em 29 de Dezembro de 2009 foi instituída no Brasil a Política Nacional sobre a Mudança do Clima (PNMC), por meio da Lei Nº 12.187 oficializando o compromisso assumido pelo Brasil, de forma voluntária, junto à Convenção-Quadro da ONU sobre Mudança do Clima. O Brasil se comprometeu a reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) entre 36,1% e 38,9% com base nas emissões projetadas até 2020, estimada em 3,236 GtCO2eq (gigatoneladas de gás carbônico equivalente). Em termos absolutos, isso correspondente a uma redução entre 1,168 GtCO2eq e 1,259 GtCO2eq.

Para que o Brasil atinja as metas é preciso fazer uma boa gestão deste tema. Nesse sentido o Brasil passou a elaborar o Inventário Nacional de Emissões, o que permitiu inicialmente identificar as maiores fontes para, posteriormente definir planos de ação para a redução. O combate ao desmatamento, por exemplo, é considerado elemento-chave para a redução das emissões brasileiras e o atingimento das metas.

É preciso o comprometimento de toda a sociedade e em especial das empresas, pois grande parte das emissões resultam do setor produtivo. Da mesma forma, é preciso que as empresas elaborem seus inventários de emissões, identifiquem as maiores fontes de emissão e busquem, sistematicamente reduzi-las, seja pela modificação dos processos existentes (maior eficiência) seja pela implementação de novos processos, substituição de matérias-primas e adoção de fontes de energia alternativa, entre outras.


Perguntas do questionário ISE relacionadas ao tema

Desempenho das empresas em indicador relacionado ao tema


Esquecemos algo? Tem alguma sugestão sobre este texto?