Respeito à lei e compliance

Compartilhar:

Um dos pilares de uma sociedade complexa como a de hoje é o conjunto de leis e normas que regulam seu funcionamento. Esse conjunto serve para definir direitos e deveres para que possamos viver com liberdade, mas respeitando a liberdade do outro. A observação e o respeito às leis são o ponto de partida do bom convívio da sociedade, das interações entre indivíduos, entre empresas e também entre os indivíduos e as empresas. Além de conhecer profundamente as leis às quais estão sujeitas, as empresas devem adotar mecanismos internos para que esse regramento seja amplamente conhecido pelo público interno.

Além de definir direitos e deveres, a regulação serve para equilibrar as forças da sociedade e os conflitos de interesse. Além da regulação, isto é, as regras que devem ser seguidas por todos, existe um outro conjunto de regras elaborado não pelo governo, mas por setores da sociedade. É a chamada autorregulação, de base voluntária, que tem o objetivo de complementar a regulação e avançar no sentido de aprimorar a sociedade.

As empresas comprometidas com a visão sustentável devem não só obedecer à legislação regulada pelo Estado e respeitar a autorregulação, mas também serem protagonistas na organização dessa autorregulação. No setor financeiro, por exemplo, além de seguirem as normas reguladas pelo Banco Central, as instituições financeiras podem aderir voluntariamente ao Sistema Brasileiro de Autorregulação Bancária, desenvolvido pela FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos - para responder a demandas da sociedade frente ao setor.


Perguntas do questionário ISE relacionadas ao tema

Desempenho das empresas em indicador relacionado ao tema


Esquecemos algo? Tem alguma sugestão sobre este texto?