Investimento social privado

Compartilhar:

As empresas têm um importante papel como financiadoras de ações sociais que permitam assegurar o cumprimento de direitos universais, como educação e cultura, ou até mesmo a defesa de direitos, como a luta contra todas as formas de discriminação e o apoio à diversidade.

Os recursos privados que são voluntariamente repassados a uma causa, de forma planejada, monitorada e sistemática para projetos sociais, ambientais e culturais de interesse público são chamados de Investimento Social Privado (ISP) empresarial. O ISP inclui doações filantrópicas feitas pelas companhias, apoio a projetos de organizações sem fins lucrativos e também projetos próprios que tenham como objetivo gerar benefício público.

Além das empresas, a ação voluntaria de indivíduos, igrejas, grupos ou famílias também cumprem o papel de financiar essas agendas, mas as corporações podem garantir uma infraestrutura de governança e de avaliação dos impactos desse financiamento de forma bastante estruturada.

É importante distinguir o ISP de investimentos sociais não voluntários, que atendem, por exemplo, a uma imposição legal, atos administrativos ou decisão judicial, incluindo obrigações decorrentes de licenciamento ambiental, Termos de Ajustamento de Conduta e contrapartidas socioambientais de financiamentos. Diferentemente do ISP, esses investimentos têm como objetivo mitigar ou compensar impactos negativos das empresas, em vez de gerar de forma voluntária um benefício público por meio de recursos privados.


Perguntas do questionário ISE relacionadas ao tema

Desempenho das empresas em indicador relacionado ao tema


Esquecemos algo? Tem alguma sugestão sobre este texto?